João Bosquo Cartola lança “Seleta Cuiabana” de poesias em homenagem aos 300 anos da capital

Tendo Cuiabá como Musa, o poeta e jornalista dá um raro e valioso presente poético aos leitores, filhos ou não dessa cidade inspiradora

Por Antonio P. Pacheco | O poeta e jornalista João Bosquo está de volta à cena literária mato-grossense, desta vez, com o lançamento do livro, “Seleta Cuiabana – 50 Poemas que falam de Cuiabá”. O evento acontecerá no dia 10 de dezembro, as 19 horas. O livro, que sai pela Carlini&Caniato Editorial, é o resultado de uma autoprovocação e uma homenagem aos 300 anos da capital mato-grossense.

Com este livro, João Bosquo reúne poemas que traçam um panorama da sua produção poética nas últimas três décadas e meia. Um mergulho emocionante e prazeroso nas visões, impressões e emoções que marcaram o autor, despertadas pelos ambientes díspares e experiências proporcionadas pelo viver na tricentenária Cuiabá.

A obra reúne poemas que trazem em comum referências distintivas de Cuiabá, sua gente, seu clima, sua geografia, sua cultura e suas peculiaridades, suas venturas e desventuras, transformações e resistências.

Continuar lendo

Bosco Brasil assina o roteiro da série ‘Dependentes’ que estreia hoje no canal Futura

Da Assessoria | Autor premiado, Bosco Brasil assina o roteiro de “Dependentes”, série que estreia no canal Futura nesta quarta-feira, dia 27, com direção de Marco Altberg. Tema pouco debatido, a dependência química será discutida a partir dos conflitos vividos não só por quem é dependente, mas por quem convive com ele: o codependente. A história de personagens de cinco famílias que frequentam um grupo de ajuda se entrelaça. Bosco quis mostrar ainda as reações emocionais daqueles que convivem diretamente com quem é dependente. “É uma história de relações humanas, de sentimentos. Pouco se fala de quem convive com os dependentes, das pessoas que estão ao lado do adicto e que luta por ela”, explica Bosco. A série tem 13 episódios de 26 minutos.

O AUTOR

Bosco Brasil é autor de teatro, rádio, cinema e TV com mais de 20 anos de experiência, tendo escrito para todos os gêneros e formatos. Iniciou sua carreira na TV Cultura, integrando o time de roteiristas do Castelo Ra-tim-bum (entre 1990 e 1994) e, desde então, produziu diversas obras para TV, entre elas: Pupilas do Senhor Reitor (1994/SBT), O Amor está no Ar (1997/ Globo), Anjo Mau (1998/Globo), Torre de Babel (1998/Globo), Malhação (2000/Globo), As Filhas da Mãe (2001/Globo), Coração de Estudante (2002/Globo), Carga Pesada (2004/Globo), Essas Mulheres (2005/Record), Bicho do Mato (2006/Record), Tempos Modernos (2010/Globo), Noite de Arrepiar (2013/Record) e Casamento Blindado (2013/Record). Continuar lendo

Um artigo de Mário Augusto Jakobskind, de 2005, mas sempre atual: Rede Globo, o maior partido político do Brasil

Por Mário Augusto Jakobskind | A TV Globo, das Organizações Roberto Marinho, a emissora de maior audiência no Brasil, é considerada por vários setores de esquerda como um verdadeiro partido político. Dona Lily Marinho, a viúva do patriarca do grupo, recentemente falecido, deixou claro em um livro que o seu marido elegeu Collor (ex-presidente Fernando Collor de Mello) e posteriormente o retirou da Presidência, o que não está longe da verdade.

A TV Globo, de fato, em 1989, na primeira eleição direta para a Presidência da República, teve participação intensa na campanha. Roberto Marinho, o empresário proprietário do império de comunicação, apostou em Fernando Collor de Mello, por entender que naquele momento o ex-governador do Estado nordestino de Alagoas seria alternativa às candidaturas do governador do Estado do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, ou de Luiz Inácio Lula da Silva, que apareciam muito bem cotados nas pesquisas de opinião pública. Na concepção de Roberto Marinho, a eleição de Brizola ou Lula poderia criar problemas para o seu grupo e outros setores empresariais.

Continuar lendo

Origens dos EUA, o Coringa e o ocaso da supremacia branca

A consciência política do povo já superou o mito da supremacia branca, sua lealdade aos opressores e ao capital internacional e suas demais mentiras

 

Por Franklin Frederick |

«Nas raízes do capitalismo encontram-se não apenas a escravidão e a supremacia branca, mas também o ‘ethos’ do gangster.»   Gerald Horne

O filme ‘Coringa’ apresenta um fenômeno contemporâneo presente em vários países, mas que só pode ser compreendido em sua complexidade através da história das origens dos EUA.

O historiador Afro-Americano Gerald Horne argumenta no livro ‘The Counter- Revolution of 1776: Slave Resistance and the origins of the United States of America’ que o movimento pela independência dos EUA nasceu, por um lado, do receio das classes ricas da colônia de um crescente movimento abolicionista na metrópole, a Inglaterra, que poderia acabar com a base de sua riqueza – os escravos. Por outro lado, a Inglaterra também impedia o avanço dos colonos para o oeste, que deveria permanecer como território indígena. Para Horne, a guerra pela independência dos EUA  foi em parte uma ‘contra-revolução’ liderada pelos ‘pais fundadores’ com o objetivo de preservar o seu direito de escravizar outros povos, sobretudo africanos, e de continuar a expandir a jovem nação para o oeste, roubando mais terras dos povos indígenas onde implantar mais trabalho escravo.

Continuar lendo

Rotatória do Círculo Militar, por José Antônio Lemos

Por José Antônio Lemos | Feliz a cidade com o dinamismo e a pujança de Cuiabá, viçosa, rica em oportunidades de desenvolvimento e de elevação da qualidade de vida de sua população. Mas, também em problemas. São os tais ônus e bônus da vitalidade urbana. As cidades vivas geram aumentos de demandas em todas as áreas, e muito especialmente na mobilidade urbana, onde cresce o número de pessoas e de veículos nas ruas, surgem novos bairros e polos geradores de tráfego, exigindo de seus administradores providências visando garantir a fluidez indispensável com segurança e conforto. Como uma criança saudável em crescimento exige dos pais, no tempo certo, roupas, sapatos, e tudo o mais em tamanhos crescentes, assim também uma cidade em desenvolvimento.

É o caso de Cuiabá que, sem uma estrutura técnica permanente para o planejamento urbano contínuo, tem sua prefeitura sempre correndo atrás, buscando superar os gargalos urbanísticos surgidos a cada momento, hoje com obras de vulto como os viadutos na Beira-Rio e na Archimedes Lima, passarela na Rodoviária, renovação do sistema semafórico, recapeamento asfáltico e mesmo obras menores, como a ligação da travessa Monsenhor Trebaure à Marechal Deodoro. Agora a discussão é o colapso funcional da rotatória do Círculo Militar, causado pelo incremento natural do trânsito de veículos acrescido pela instalação de um grande polo gerador de tráfego nas proximidades.

Quanto à rotatória do Círculo Militar, após o aparente insucesso da solução semafórica, o prefeito acena com a construção de uma trincheira no local, o que seria uma solução emergencial importante. Porém, o carro é um bicho danado. Se um conflito pontual é resolvido, de imediato ele volta ao local até atingir de novo os limites do desconforto e, logo, novo colapso. A trincheira ou, no caso, um viaduto estaiado, é uma solução emergencial necessária como uma ponte safena em um coração com problema circulatório. Melhor que tratar a doença de um paciente é tratar o paciente doente, e com a cidade deve ser igual. Ainda que as soluções emergenciais sejam necessárias, o ideal é tratar a cidade com problemas, antecipando-se a eles.

Continuar lendo

Tarifas de companhias privadas são mais caras, ou alguém aí tinha alguma dúvida

Da Assessoria | As tarifas de água adotadas por companhias privadas são mais caras quando comparadas aos valores praticados por serviços municipais e companhias estaduais de saneamento. A afirmação faz parte de estudo inédito da Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento (Assemae), publicado nesta segunda-feira (18/11), que apresenta o ranking de municípios submetidos às maiores tarifas.

As dez tarifas de água mais caras do país, na categoria residencial por 10 m3, vão de R$ 94,90 a R$ 61,00, e são cobradas em 328 municípios, dos 4.187 apurados pelo estudo da Assemae.

Conforme atesta o estudo, os cinco municípios que possuem as tarifas de água mais caras do Brasil são atendidos pela mesma companhia privada no Rio de Janeiro. Na categoria residencial, a tarifa mais cara do Brasil é de R$ 94,90 por 10m³/mês, servindo quatro municípios, e o quinto município tem a segunda maior tarifa, no valor de R$ 87,30.

Continuar lendo

Jovens do Programa Siminina serão recebidas no Hotel Deville Prime Cuiabá

Da Assessoria | Em comemoração ao Dia do Hoteleiro, no próximo sábado, dia 9 de novembro, a partir das 9h, o Hotel Deville Prime Cuiabá receberá um grupo de convidadas especiais para um café da manhã. Em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Mato Grosso (ABIH MT), 20 meninas do projeto social Siminina, desenvolvido pela Prefeitura de Cuiabá, terão um sábado bem diferente.

Além do café da manhã, elas farão uma visita técnica ao hotel. “Será um dia especial para essas meninas de comunidades carentes de Cuiabá. Elas terão a chance de estar em um ambiente diferente da rotina delas, ampliando os horizontes, conhecendo oportunidades futuras de carreira e o local onde muitas mulheres que viajam a trabalho ou turismo ficam hospedadas”, conta Gerson Honório da Silva, gerente geral do Deville Prime Cuiabá.

O projeto da Prefeitura prepara as meninas para um futuro em que elas sejam as protagonistas de suas histórias, ajudando a desenvolver novas habilidades comunicativas a partir da valorização da beleza particular de cada uma. As atividades propostas visam trabalhar a vocação profissional, o despertar dos dons e o resgate de alguns valores.