Bosco Brasil assina o roteiro da série ‘Dependentes’ que estreia hoje no canal Futura

Da Assessoria | Autor premiado, Bosco Brasil assina o roteiro de “Dependentes”, série que estreia no canal Futura nesta quarta-feira, dia 27, com direção de Marco Altberg. Tema pouco debatido, a dependência química será discutida a partir dos conflitos vividos não só por quem é dependente, mas por quem convive com ele: o codependente. A história de personagens de cinco famílias que frequentam um grupo de ajuda se entrelaça. Bosco quis mostrar ainda as reações emocionais daqueles que convivem diretamente com quem é dependente. “É uma história de relações humanas, de sentimentos. Pouco se fala de quem convive com os dependentes, das pessoas que estão ao lado do adicto e que luta por ela”, explica Bosco. A série tem 13 episódios de 26 minutos.

O AUTOR

Bosco Brasil é autor de teatro, rádio, cinema e TV com mais de 20 anos de experiência, tendo escrito para todos os gêneros e formatos. Iniciou sua carreira na TV Cultura, integrando o time de roteiristas do Castelo Ra-tim-bum (entre 1990 e 1994) e, desde então, produziu diversas obras para TV, entre elas: Pupilas do Senhor Reitor (1994/SBT), O Amor está no Ar (1997/ Globo), Anjo Mau (1998/Globo), Torre de Babel (1998/Globo), Malhação (2000/Globo), As Filhas da Mãe (2001/Globo), Coração de Estudante (2002/Globo), Carga Pesada (2004/Globo), Essas Mulheres (2005/Record), Bicho do Mato (2006/Record), Tempos Modernos (2010/Globo), Noite de Arrepiar (2013/Record) e Casamento Blindado (2013/Record).

Tem ministrado aulas de roteiro e dramaturgia e participou ativamente do projeto Nova Dramaturgia Carioca, de onde surgiram os novos dramaturgos contemporâneos como Renata Mizhari, Diego Molina, entre outros. Em 2007 e 2008 ministrou cursos de dramaturgia na Escuela Internacional de Cine y TV de Cuba. Em 2015 ministrou a oficina de roteiro audiovisual na Caixa Cultural. Também lecionou Teoria da Comunicação na FAAP – SP, e Dramaturgia na PUC RIO. Foi curador das oficinas do Centro de Referência em Dramaturgia Contemporânea do Teatro Ziembinski, projeto da Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro.

Entre suas premiações, destacam-se o prêmio Shell e APCA como melhor texto de 2001, para Novas Diretrizes em Tempos de Paz, peça apresentada em São Paulo e Rio, entre outras capitais, e que fez temporada em Portugal, além de montagens realizadas na Argentina, Uruguai, Chile, Equador, México, Itália, Portugal, Porto Rico e Grécia. O texto está em fase de produção na Venezuela, Alemanha, Romênia e Turquia.

Para o cinema escreveu, entre outros, os roteiros dos curtas “Ressaca’, 2009, Seleção Oficial do Festival de Biarritz, França, e “Máscara Negra”, 2010, Prêmio Estímulo da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, e Melhor Roteiro no Diva Film Festival, Chile, 2012, entre outros prêmios internacionais. Escreveu o roteiro original “Neblina”, vencedor do Edital de Desenvolvimento de Roteiros da SAV/MINC. Já por “Tempos de Paz”, longa dirigido por Daniel Filho, Bosco foi premiado na categoria roteiro adaptado pela Academia Brasileira de Cinema no Grande Prêmio Brasileiro de Cinema 2010. A adaptação para o cinema de sua peça “Blitz”, estreou como longa-metragem esse ano dirigida por Renê Brasil.